Da estética para o cotidiano

Nada na vida é permanente, não existe cera que tape o clamor de uma cidadã neste mundo tão tecnológico, por exemplo olha eu, mesmo sendo uma galinha aPENAS (veja a palavra é significativa) na rede?! espero que curtam minhas postagens!

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Ter um corpo ou ser um corpo?

Ando pensando muito nesta questão; tenho um corpo? sou um corpo?
Adimitir que tenho um corpo é, declarar que sou dona do meu bico. Tenho autonomia sobre mim e minha formação é independente dos que me rodeiam. Em contrapartida assumo que os meus proximos tem uma imagem fixa sobre meu corpinho galínaceo, e fica fora do meu alcance demestificar esta imagem, afinal, ela é propria.
tenho aqui uns exemplos;


                                                                     





Estamos sempre em posições desagradaveis, pior tem outras piores degradantes ligada a minha ingenua imagem depenada.



                                           dizem por ai que não posso nem tomar sol!










                                              Es a cara que fazem como me veem exposta desta forma.


Mediante ao fotos prefiro assumir que sou um corpo. Desta forma imponho mais respeito, desmitifico a obrigação de ser construida aPENAS por influências exteriores ao meu eu, deixo de lado a obrigatoriedade de  assumir os papeis das ideologias sociais que me rodeiam...não são tão necessaria sobre uma mesa exposta com pés e assas hiperestendidas, com abduções forçadas, contrariando as leis da biomecânica. Posso então sonhar com um novo amanhecer, e curtir a idéia do paraíso.


                                                                                                                                       
ser independente... trabalhar... criar e ser fashion

                            

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário